A revista Concilium: 50 anos

Não se trata aqui do meu aniversário, acontecido há poucos dias.  Mas de outro muito mais importante.  Quem faz um jovem aniversário de 50 anos é a revista Concilium.

O Concílio Vaticano II, iniciado em 1962 e encerrado em 1965, representou um marco não apenas para a Teologia, mas para toda a vida da Igreja.  Desde o discurso inaugural do Papa João XXIII, na abertura do evento, ficou claro para a sociedade como um todo e para a Igreja em particular que aquele era um concílio diferente dos outros tantos já acontecidos na história.  Pois não se preocupava tanto a Igreja em julgar o passado, mas, sim, em abrir o future, a fim de que o diálogo entre Igreja e mundo moderno e secularizado pudesse, finalmente, acontecer.

Reformas importantes foram levadas a cabo na liturgia, no modelo de compreensão do que seja a Igreja, na forma de entender e realizar a pastoral, no relacionamento com outras igrejas e religiões.  Na Teologia, o eixo central e ponto de partida passou a ser antropocêntrico, e não mais teocêntrico como antes sucedia.  A Igreja Católica desejava olhar para o ser humano, suas angústias e dificuldades, mas também suas alegrias e esperanças, para elaborar seu discurso de inteligência da fé.

A revista Concilium, fundada no mesmo ano em que terminou o Vaticano II (1965), pretendeu desde o seu lançamento oferecer ao povo de Deus uma reflexão teológica em profunda e fina sintonia com as propostas conciliares, a fim de formar e motivar as novas gerações a se voltarem para a sociedade e a história, e a partir daí viverem sua fé e agirem em coerência com a mesma.

Publicada há 50 anos, cinco vezes ao ano, Concilium é uma revista de teologia que deseja atingir o mundo inteiro.  Seus editores e participantes constituem uma equipe de alto nível em termos do mundo acadêmico. E não se compõe este comitê editorial apenas de nomes já consagrados na teologia católica, mas igualmente de novas vozes vindas de várias partes do mundo e que, com sua nova visão, enriquecem a revista.

O objetivo da Concilium é, pois, promover debate e discussão teológica no espírito do Vaticano II, a partir do qual nasceu e se consolidou. Trata-se de uma revista católica no sentido mais amplo do termo: enraizada firmemente na herança católica, aberta a outras tradições cristãs e a outras tradições religiosas existentes no mundo.  Cada número de Concilium é centrado em um tema de crucial importância e abrangente alcance para o nosso tempo.

As contribuições dos artigos e ensaios da revista vêm da Ásia, África, América do Sul e do Norte e da Europa. Publicada em seis idiomas – inglês, alemão, italiano, português, espanhol e croata -, a revista reflete verdadeiramente as múltiplas facetas de nossa sociedade plural e de uma Igreja desejosa de dialogar com esta pluralidade.

É no sentido de celebrar este jubileu tão importante – 50 anos de existência de uma teologia em sintonia com os tempos e as culturas de hoje – que a PUC-Rio, através de seu Departamento de Teologia e da Cátedra Carlo Maria Martini, do Centro de Teologia e Ciências Humanas, organiza a partir do próximo dia 26 de maio o V Simpósio de Teologia com o tema Caminhos de Libertação: Alegrias e Esperanças para o Futuro.

Este Simpósio dá continuidade à já tradicional iniciativa do Departamento de Teologia da PUC-Rio de realizar periodicamente encontros internacionais para promoção do saber teológico e de sua relação com outras áreas do conhecimento.

Assim, o Simpósio soma-se às comemorações que ocorrerão em várias partes do mundo pelo 50º aniversário da revista Concilium, concomitante com o 50º aniversário do Concílio Vaticano II.  O Conselho Editorial da revista fará sua reunião anual após o Simpósio e o público brasileiro poderá ouvir, dialogar e conviver com teólogos de tão variadas procedências e de reconhecida competência em suas áreas de reflexão.

A finalidade principal deste Simpósio é aprofundar a teologia conciliar, mas não apenas olhando para o passado – pujante e glorioso – dos pais fundadores da revista, como Rahner, Metz, Schillebeckx, Congar, Kung e outros.  Deseja-se, antes, olhar para o futuro a partir do presente, no qual o povo cristão partilha As alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens de hoje, sobretudo dos pobres e de todos aqueles que sofrem (Gaudium et Spes 1).

Assim como o Concílio e a Revista, que quis e quer encarnar seu espírito, o Simpósio pretende celebrar e seguir hoje as pegadas daqueles e daquelas que configuraram essa visão de mundo, de humanidade e de Deus.  É uma rara oportunidade ouvir diferentes vozes, de diversas latitudes e refletir sobre os grandes desafios que hoje se apresentam à fé e à teologia.  Por isso, cada conferencista, cada painelista, cada debatedor apresentará, a partir da sua disciplina, suas esperanças para o futuro da teologia em um mundo tão diverso e cambiante.

Esperamos que seja uma bela celebração!  Feliz Aniversário, Concilium!  E continue corajosamente mostrando ao mundo o que o Cristianismo tem a contribuir para os grandes problemas e inquietações da humanidade!

Descargar como:  PDF |   Microsoft Word |   Texto Plano   –     Imprimir Artículo

Compartir
Artículo anteriorFrancisco y la Teología del Pueblo: 2
Artículo siguienteLa lógica de la mentira
Maria Clara Bingemer
Bachiller en Comunicación Social y en Teología por la Pontifícia Universidades Católica do Rio de Janeiro. Doctora en Teología por la Pontificia Università Gregoriana. Post-Doct en Leuven. Profesora de Teología en la Pontifícia Universidades Católica do Rio. Actualmente se dedica a investigar sobre mística y testimonio en el siglo XX, la experiencia de Dios en el contexto de la secularización y la diversidad religiosa y cultural contemporánea.